quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Transtorno de tique!



Não é incomum pacientes me procurarem por apresentarem tiques, mas o que é isso? 

Tiques são contrações musculares rápidas e repetitivas que resultam em movimentos ou vocalizações involuntárias. 

É um transtorno neuropsiquiátrico que geralmente inicia na infância ou adolescência, podendo ser constantes ou oscilantes com o passar do tempo. 

Existem vários tipos de tiques o mais conhecido é a síndrome de Gilles de lá Tourette ou transtorno de Tourette. Existem ainda o transtorno de tique motor ou vocal crônico, transtorno de tique transitório e transtorno de tique sem outra especificação. 

No transtorno de Tourette, existem tiques motores múltiplos e um ou mais tiques vocais como coprolalia e ecolalia. Ocorrem muitas vezes ao dia por mais de um ano. Tal transtorno causa prejuízo no funcionamento global do indivíduo e inicia antes dos 18 anos de idade. Coprolalia é a tendência involuntária de dizer palavras obscenas ou fazer comentários depreciativos ou inadequados, podendo fazer referência a excremento, genitais ou ato sexual. Ecolalia nesse caso é quando o indivíduo repete de forma mecânica palavras ou frases que ouve. 

O tratamento irá depender da gravidade e da frequência dos tiques; do sofrimento do paciente, dos efeitos dos tiques sobre a escola ou o trabalho, o desempenho profissional e a socialização; e da presença de outro transtorno mental concomitante. Muitas vezes o bom funcionamento social e acadêmico pode não requerer tratamento. Em geral técnicas comportamentais em especial abordagens de inversão de hábitos e farmacoterapia em conjunto têm o melhor resultado. Antipsicóticos convencionais e de alta potência reduzem os tiques de forma significativa, mas devem ser minuciosamente avaliados em relação à sua indicação principalmente em crianças. 

O mais comum na minha prática clínica em adultos e que coincide com a literatura é a co-morbidade de comportamentos de tique e transtornos ou apenas sintomas obsessivo-compulsivos. Nesses casos os antidepressivos inibidores da recaptação de serotonina podem ajudar em monoterapia ou em combinação com antipsicóticos. 

Em relação ao prognóstico, geralmente os tiques são transitórios, iniciam com 6 a 8 anos de idade e duram cerca de 4 a 6 anos, cessando no início da adolescência. Quando os tiques envolvem os membros ou o tronco a tendência é que a duração dos tiques seja maior, podendo cronificar-se, já os tiques faciais são de melhor prognóstico. É importante até ressaltar que tal transtorno ocorre tanto em crianças como em adultos e idosos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário