quarta-feira, 6 de julho de 2016

Psicofármacos e automedicação!

Os medicamentos utilizados na psiquiatria se dividem em ANTIDEPRESSIVOS que incluem os ESTABILIZADORES DE HUMOR os ANTIPSICÓTICOS e os ANSIOLÍTICOS / HIPNÓTICOS onde estão inclusos os benzodiazepinicos. 

Esses fármacos afetam os neurotransmissores principalmente as monoaminas que são noradrenalina, dopamina, serotonina, acetilcolina e histamina e os aminoácidos ácido Gama -aminobutirico (GABA) e o ácido glutâmico. 

Cada fármaco tem sua indicação, particularidades, incluindo efeitos adversos e indicações. A anamnese que é o momento em que obtemos informações do paciente para que seja realizado o diagnóstico deve ser minuciosa. 

O paciente precisa dar o máximo de informações nesse momento e o médico precisa questionar acerca de tudo que avaliar como necessário, caso o paciente já não o tenha informado. 

Doenças clínicas e uso de medicações de uso contínuo para hipertensão arterial, diabetes, glaucoma, insuficiência renal, doenças auto imunes e outras infinidades de doenças agudas ou crônicas  podem contraindicar o uso de psicofármacos ou, se mesmo nessas condições precisarem serem prescritas, é necessário ajuste de doses e avaliações mais frequentes com solicitações sistemáticas de exames laboratoriais para avaliar função hepática, renal e tireoidea se necessário.

Os transtornos de humor podem também ser causados por uma condição clínica geral, ou seja, podem ser causados por uma doença orgânica e muitas vezes tratando essa doença de base, os sintomas de humor desaparecem sem que seja necessário o uso de psicofármacos. 

Algumas dessas condições clínicas que podem causar transtornos de humor sendo elas agudas ou crônicas são as seguintes: Doença de Parkinson, Doença de Huntington, Doença de Wilson, Acidente vascular cerebral (AVC), Neoplasia cerebral, Trauma cerebral (TCE), Encefalite, Esclerose múltipla, Epilepsia de lobo temporal, hipertireoidismo, hipotireoidismo, hiperparatireoidismo, hipoparatireoidismo, Uremia, Síndrome de Cushing, Doença de Addison, Lúpus eritematoso sistêmico, Artrite reumatoide, Deficiência de folato, Deficiência de vitamina B12 e Síndrome da imunodeficiência adquirida. 

Portanto, utilizar  psicofármacos por conta, seja do vizinho, amigo ou familiar, balconista da farmácia, farmacêutico, enfermeiro, técnico de enfermagem ou qualquer outro profissional mesmo que atue na área da saúde que não seja seu médico NÃO É RECOMENDADO. A auto medicação pode causar efeitos graves e permanentes no organismo, podendo levar a morte. Percebo na prática clínica consequências graves da automedicação e muitas vezes podem ser irreversíveis. Procure um profissional habilitado pra que o mesmo prescreva psicofármacos se forem realmente necessários,  PROCURE SEMPRE O MÉDICO. JAMAIS SE AUTO MEDIQUE!! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário